Feeds:
Posts
Comments

Archive for October, 2008

Escolhas

Não é incrível como certas decisões são críticas nas nossas vidas? Me dá medo pensar que uma palavra pode mudar o resto das nossas vidas. Um simples “não” pode virar tudo de cabeça para baixo e, de repente, é como se um turbilhão de mudanças acabasse de passar. Certas escolhas na minha vida poderiam ter mudado tudo que vivi até então. Eu poderia ser outra pessoa completamente diferente do que sou hoje. Talvez, eu teria sido mais feliz assim. Talvez não. O que me mata em cada decisão é me perguntar como teria sido se eu tivesse pensado diferente. Não é me arrepender das escolhas e do caminho que escolhi, porque não se pode ter as duas escolhas, mas me perguntar se a outra opção não era melhor. Me sinto despreparada para fazer outras escolhas, talvez por medo de errar. Mas. ao mesmo tempo, sinto que elas me fizeram quem sou hoje. No fim, escolhas são apenas escolhas.

Advertisements

Read Full Post »

Aventuras em São Paulo Parte ½

Pela primeira vez na história deste blog, temos um post DUAL! É isso mesmo, amiguinhos, metade do post está aqui neste blog, e a outra metade, está no blog de Titão! Cliquem no link para ler complementos e comentários (entre parênteses)!

Ferradans. – Aventuras em São Paulo Parte ½

1- (Foi a varig, não eu.)
2- Tito me fez procurar por ele pelo aeroporto todo.
3- (Você se ofereceu!)
4- Tito me fez cantar Because of you nas escadarias do metrô.
5- Tito apagou a luz do elevador e não soube ligar de volta.
6- Tito me fez subir quatro andares de escada porque esqueceu o casaco.
7- Experimentamos todos os óculos, chapéus, máscaras e afins da Festimania. Quase compramos vários presentes para Renato.
8- (Antes você do que eu..)
9- Tito me fez andar em círculos pelo parque Trianon a procura de uma saída.
10- Brincamos de gangorra no parque.
11- Tito mentiu pra mim dizendo que o Starbucks era na Pamplona.
12- (Valeu a pena..)
13- (Pelo menos temos souveniers..)
14- Tito me fez atravessar a rua de forma imprudente.
15- (Você que esqueceu..)
16- (Foi só um!)
17- Quase compramos Bioshock.
18- Tito me fez atravessar a rua de forma imprudente.[2]
19- Pulamos uma cerca no meio da avenida para evitar caminhadas excessivas.
20- Tito me fez andar pro lado errado, procurando o pão-de-açucar.
21- Compramos Chantilly e sorvete napolitano para falsificar Frapuccinos. (Será que vai dar certo? Continua…)
22- Andamos pela Oscar Freire. (Rodeo Drive está para Beverly Hills, assim como Oscar Freire está para São Paulo).
23- Passamos pela livraria da vila.
24- O VINTE E QUATRO SERÁ DESLOCADO.
25- Tito me fez atravessar a rua de forma imprudente.[3]
26- Tito me apresentou o local do acidente.
27- Temakis!! Falamos mal de certos casais. (Tito diz: eu não ligo pra velas.)
28- Tito me fez atravessar a rua de forma imprudente.[4]
29- Também conhecido como VINTE E QUATRO: SoGo. Lembramos de Diego.
30- Tito me fez atravessar a rua de forma imprudente.[5]
31- Vimos uma limosine branca e grande!
32- Tito me fez atravessar a rua de forma imprudente.[6]
33- (Só pra variar um pouco..)
34- Home, sweet home, for now. (descobri que sou menos nerd que Tito.)

Read Full Post »

Escrever…

Eu não sei o que se passa por minha mente no momento. Me sinto na obrigação de escrever. Não por quem quer que vá ler isso, mas por mim mesma. Escrever faz parte da minha vida. Me sinto bem quando escrevo. Aqui, posso ser quem eu quiser, posso falar sobre qualquer coisa, posso extrapolar, posso xingar, posso ser eu mesma, posso questionar. A arte de escrever se baseia em você simplesmente escrever o que vem na sua cabeça, mesmo que nada faça sentido para os outros. E nem para você. Escrever sobre a vida, sobre família, sobre amigos, sobre animais de estimação que não param de miar. Aqui, cavalos são alados, borboletas são fadas, leões são reis, cachorros falam. Aqui, pessoas voam e respiram dentro d’água. Na escrita, não há limites, não há erros, não há ilusão. Há apenas sonhos e imaginação. Escrever faz eu sentir meu sangue correr. Escrever alimenta a alma. Escrever, nada se compara a escrever.

Read Full Post »

Feliz Dia das Crianças

E mais um dia das crianças se passa e cá estou eu. Perdida em algum lugar entre ser criança e ser adulta. As responsabilidades batem na minha porta e eu me sinto jovem e despreparada. Mas é só a liberdade ser extraída de mim que já me sinto velha demais para tal. A indecisão entre o conforto de ser criança e o amadurecimento que vem com o crescimento me mantém em constante conflito do que é melhor. A infância não é eterna e o crescimento é inadiável. Porém, não importa o quão velha eu fique, aquela criança inocente que acredita na bondade do mundo, vai sempre existir dentro dessa adolescente, virando adulta. O que eu quero de dia das crianças? Quero que a felicidade continue batendo na minha porta, todos os dias. Quero que todos encontrem ela em seus batentes. Quero que as pessoas se concentrem nas coisas boas e esqueçam as besteiras do mundo. Quero que o mundo seja sempre assim, fantástico e inimaginável. A todos, eu desejo um feliz dia das crianças, independente da sua idade. Hoje não é um dia para as crianças e sim um dia para todos nós nos sentirmos livres para ser crianças de novo.

Read Full Post »

Sleepless Night

The rise of a brand new day, reminds me of a brand new start.
Everything looks different in the early morning.
Everything is calm and peaceful even in a big city.
Seeing the day coming again, makes me know that I can start over as much as I’d like.
Like a fenix reborns from ashes, all my hopes and dreams reborn with the dawn.
And that’s when I know that I’m free to do whatever I want.
But most of all, the rising of the sun, makes me see that I’m alive.

Read Full Post »

O que é Amor?

O que é amor? Eu me pergunto todos os dias, mas nunca chego numa resposta convincente. Sei que é um sentimento puro e que não pede nada em troca. Nem sempre é mútuo, mas é a coisa mais verdadeira que uma pessoa pode vir a sentir. Existem vários tipos de amor e ele chega por diferentes meios.
Acho que não conheço todos os tipos ainda, mas ele já foi me apresentado de diversas maneiras. Ao começar pelo amor incondicional de uma mãe. Esse foi o primeiro tipo de amor que conheci. O amor de minha mãe por mim. Muitos não sabem o que é isso e muitos perderam esse amor, mas para mim, não existe outro maior. Talvez essa seja uma das únicas certezas que tenho na vida. A certeza de que não importa o que, não importa o quão eu desaponte-a ou o quão afastadas fiquemos ou qualquer coisa que a vida nos proporcione, tenho certeza de que ela irá me amar. Sempre. Incondicionalmente. Depois disso, vem o amor de meu pai que é tão incondicional quanto o de minha mãe.
Assim como eles me amam, eu amo eles. O amor de um filho não se equivale nunca ao amor de uma mãe ou um pai, mas ainda assim é um amor gigantesco, principalmente para mim, que não tenho filhos.
Meus irmãos. Não moro com nenhum deles. Vejo-os com pouca freqüência e talvez não perceba tanto, mas sinto falta deles. Todos os dias. E esse amor incondicional que eles têm por mim é exatamente o mesmo que tenho por eles. Só percebo isso raramente, mas sinto saudades. Saudades de ter alguém por perto para abraçar, pirraçar e fazer companhia.
Depois, vem o amor de uma tia. Talvez esse amor não seja tão profundo quando se tem uma família grande, mas para mim que só tenho um sobrinho que mora a milhares de quilômetros de mim, esse amor é gigante. Sinto falta de abraçá-lo, carregá-lo, beijá-lo, observá-lo atingir novas conquistas. Meu peito dói ao saber que quase não vou fazer parte da vida dele, que ele me verá como uma estranha grudenta, que mora longe e que agarra ele quando o vê. Não quero virar aquela tia chata que aperta as bochechas dele e comenta o quanto ele cresceu. Quero ser a tia que ele pode sempre contar com, quando minha irmã irritá-lo ou quando ele achar que o mundo é injusto.
Todos nós em algum momento da vida achamos o mundo injusto. Mas, existem pessoas que nos dão esperanças quando nós sentimos assim. Pessoas que estão sempre lá, prontas para ajudar, fazendo gracinhas, contando estórias ou nos dando aquele abraço que arrancam um sorriso nosso nas horas menos esperadas. Pessoas que nem sempre ficam nas nossas vidas para sempre, mas que quando vemos, é como se elas nunca tivessem estado longe. Pessoas que recebem o título de amigos.
Não tenho muitos amigos, menos ainda, amigas. Mas, sei que a qualquer hora que nós realmente precisarmos eles estarão lá, prontos para ajudar. Finalmente, o último amor que falarei a respeito, o amor de um homem para uma mulher e vice-versa. Já vi muitos amigos sentirem isso. Já me vi sentir isso muitas vezes. Já vi muitos sofrerem por esse e já os vi serem as pessoas mais felizes do mundo. Já vi pessoas amarem, quem não as ama, e pessoas que se amam, não ficarem juntos. Já vi pessoas tentar enganar-se ao fingir que não amam, e pessoas enganar-se ao fingir que amam.
Apesar de puro e verdadeiro, o amor é estranho. Amar deveria ser suficiente para a humanidade. Amor não só por familiares, amigos e pessoas do sexo oposto, mas por todas as pessoas, iguais a nós ou não. Não só por pessoas, mas todos os seres vivos. Não apenas pelos seres vivos, mas por tudo, vivo ou não. Amor pela a vida e pela vontade de viver.

05 de fevereiro de 2008

Read Full Post »

A subida

É quando se alcança o fundo do poço e não se tem nada a perder, que você percebe. Você pode fazer qualquer coisa. Eu não cheguei ao fundo do poço. É um caminho muito longo pra baixo. Percebi no meio da queda livre e me agarrei no primeiro ramo que passou por mim. Agora, é a escalada para cima. Não vai ser fácil, é verdade, mas estou conseguindo e não vou desistir. Daqui para frente, as coisas vão ser do meu jeito.

Read Full Post »

Older Posts »